Depoimento para livro sobre Infertilidade

Categorias , Postado por Maria Livia às 9/20/2012
Meninas, minha psicóloga e eu estamos escrevendo um livro sobre os aspectos envolvidos na dificuldade de engravidar. Para isso, estamos coletando histórias de mulheres que passaram ou ainda passam por problemas de fertilidade. A ideia é que o livro possa auxiliar todas que estão vivendo esse momento delicado, em que nosso emocional fica tão abalado.
As interessadas em participar devem redigir seus textos e encaminhá-los para meu e-mail: mliviaalmeida@gmail.com ou lseger@terra.com.br (Liliana Seger). Os nomes poderão ser modificados ou mantidos em sigilo.
As questões a seguir são referentes a alguns dos assuntos que deverão ser abordados no livro. Elas servem apenas como orientação no texto a ser elaborado. Fiquem à vontade para redigirem um texto livre.
  1. Depois de quanto tempo tentando engravidar, você descobriu que o casal tinha algum problema de fertilidade? Como foi descobrir isso, como você lidou com a situação? Demorou em aceitar que precisava de ajuda?
  2. Que tratamentos você já fez? Como você se sentiu durante o tratamento? Para você, qual é o pior momento? Como você lida com a espera do Beta HCG, o que você costuma fazer para se distrair? Como fica seu emocional?
  3. Já passou por algum negativo? Como foi? Como você lidou com isso? O que te ajudou na recuperação? Você partiu para outro tratamento logo em seguida ou demorou?
  4. Como você e seu marido se relacionam durante as várias fases do tratamento? Ele é presente, participativo ou distante? Como você se sente em relação a isso?
  5. Você já pensou em adoção? O que você sente quando as pessoas te dão esta sugestão?
  6. O que você sente quando as pessoas falam que você precisa “desencanar”?
  7. O que você sente quando recebe a notícia de pessoas próximas que engravidaram (principalmente quando nem queriam ou nem estavam tentando)? Como você lida com isso?
  8. Como você se sente tendo que passar por tudo isso? O que te dá forças para continuar?
  9. Como você lida com a cobrança dos amigos e familiares? O que você sente quando te perguntam: “E você, ainda não tem filhos?”?
  10. Você contou para seus amigos e parentes que está/estava em tratamento? Você achou que foi bom ter contado?

 Os maridões que quiserem participar também podem escrever sobre sua experiência, pois é interessante termos a perspectiva masculina. Aí vão algumas questões para servirem de base.
  1.      Como foi saber que precisava fazer tratamento para engravidar?
  2.      Como foi lidar com os exames que deviam ser feitos?
  3.      Como você dava apoio à sua esposa durante o tratamento? E quando vinha um negativo? Como você se sentia?

8 comentários:

rosana on 9/20/2012 disse... [Responder Comentário]

que legal amiga...amo ler essas coisa e realmente nos fortalece mesmo....meu sonho é transformar meu blog em um livro..quem sabe um dia eu realizo este sonho tbm...e eu creio que através de minhas mensagens curarão varios corações despedaçados..assim como o meu ja foi restaurado,apesar das tentativas que aninda estou fazendo....meu desejo é que todas assim como,realize este tão lindo sonho de ser mãe...ah quero participar com todo prazer..ok??/bjs vou contar minha história!! pode deixar!!

Bravo, Bebê!!!! on 9/21/2012 disse... [Responder Comentário]

Maria, eu quero! Acho q os depoimentos do meu blog respondem todas essas perguntas. Vc tem interesse?

Maria Livia on 9/21/2012 disse... [Responder Comentário]

Oi, Maria! Claro que tenho interesse. Já que vc tem escrito no blog, pode só montar como uma historinha, não precisa responder em forma de questionário.
Obrigada! BJu

Sil on 9/22/2012 disse... [Responder Comentário]

Muito legal, vou escrever e te mando.

Tem um selinho pra você lá no meu cantinho.
Bjss..

rosana on 9/23/2012 disse... [Responder Comentário]

Oieeee.."Eis que a primavera ja chegou,"Onde há impossibilidade,ali há esperança"......(....mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim,"Filipenses 3:12 -13").....Vamos começar de novo e de novo,nascer de novo sempre."Novo": no grego significa que "vem de cima",então existe alguem,um Deus que nos ama.E é de cima que virá o "novo"....bjinhos Rô..boa semana

Cantinho da Marina on 9/24/2012 disse... [Responder Comentário]

Ótima iniciativa, como já comentei... importante para relatar o que passamos e como conseguimos... e também o que algumas ainda estão passando!
Beijo e ótima semana pra vc e pra Maísa!

Renata on 9/27/2012 disse... [Responder Comentário]

Amiga, que saudade de escrever aqui!
Vc sabe que estou meio maluca e por isso não escrevo, mas sempre leio tudinho pelo celular!
Adorei a ideia do livro e já me comprometi a dar meu relato, assim que as coisas estiverem mais calmas.
E nesses últimos dias, graças a Deus estão. Felipe está mais tranquilinho e com isso voltou a tirar cochilos durante o dia, deixando a mamãe com um tiquinho de tempo livre para outra coisa que não seja te-lo nos braços. Viva! rs...
Agora acho que estou descobrindo realmente o que é ter um bebê em casa. Porque, a fase que ele só chorava o dia todo, confesso que fiquei bem traumatizada...
Se ele continuar bem (e continuará, se Deus quiser!), conseguirei estar mais presente.
Beijos pra vc e pra essa fofa da Maísa!

http://nossomundocomfelipe.blogspot.com.br/

Carol Abreu on 7/06/2013 disse... [Responder Comentário]

Já faz um tempo que eu queria contar minha história aqui,e hoje por acaso,resolvi entrar e contar.Fizemos apenas três anos de tratamento, porém descobri minha infertilidade muito cedo ainda, nas primeira visitas ao GO, tenho ovario policistico, e aos 20 anos descobri que um dos cistos era grande e era necessario tirar o ovario, fiquei muito triste mas acabei deixando pra lá, ate me casar tres anos depois, e o desejo de ser mãe realmente se efetivar dentro de mim, o primeiro médico que passei me disse que seria impossivel engravidar e outros também concordavam, então pela internet conheci a Faculdade Santo André e resolvi conhecer, lá eles me pediram um zilhão de exames, pra mim e o marido,e quando voltei ao meu convenio para fazer os exames conheci a dra.Maria Carolina , unica que investiu em nós e começou de fato um tratamento comigo, então, quando eu iniciei meu tratamento com remédios e exames doloridos, meu marido iniciou também sua jornada, e descobrimos que ele também tinha dificuldades, naquele momento minha cabeça pirou, cada amiga grávida, cada menstruação atrasada eu ficava enlouquecida, comecei uma leve depressão,não pensava em adoção, a pressão da familia começou a ficar insuportavel, pois questionavam que o problema era só meu, não comentavamos com ninguem que o marido também tinha problemas, afinal o lado machista dos homens os deixam mais afetados, então, chamamos o nosso pastor em casa, e contamos tudo pra ele, ele orou conosco e iniciou uma campanha de oração na igreja sem que ninguem soubesse o porque da oração, só nós e ele, então reiniciamos o tratamento, eu voltei a fazer os exames e meu marido a tomar os remédios, e quando eu ja estava com todos os exames prontos, desconfiei que os resultados estavam similares aos de uma gestação, mas eu não acreditava que seria possivel, foi quando percebi que minha menstruação estava 14 dias atrasada e para quem tem cistos, isto é pouco, ficava meses sem menstruar, então, um dia tomando banho, chorei por muito tempo e pedi a Deus que me mostrasse o que estava acontecendo, mas eu queria um sinal claro do que realmente estava me acontecendo, cheguei a dizer- Deus - eu quero luzes piscantes, eu quero NEONs- e meu marido chegou em casa com um presente da minha sogra, uma sacolinha linda com uma camisetinha rosa dentro, na hora eu fiquei com muita raiva, ela me ligou mas eu não a xinguei, fui bem ironica e disse - ficou pequena pra mim,ela levou na esportiva, mas foi dura- Não é pra você, é pra quem está vindo. Abri minha bíblia e li: Ensina teu filho no caminho em que deve andar, claro no outro dia fiz o teste de farmacia: Positivo !!!!!!1111 ainda não acreditava, fiz o Beta na segunda feira - POSITIVO de novo, mas eu só acreditei quando fiz a primeira ultra, e ouvi aquele coração tumtumtum e foi assim que tudo aconteceu a exatos 3 anos atrás e hoje meu milagre se chama : Samuel - porque foi o Senhor que o me enviou e assim como Ana, clamei e o Senhor me ouviu.

Deixe aqui seu pitaco!